Você não precisa procurar muito no jiu-jitsu para encontrar alguém que tenha superado grandes dificuldades para realizar sonhos dentro (e fora!) dos tatames. Ainda assim, a história de Alan “Finfou” Nascimento é particularmente inspiradora.

Finfou campeão Europeu na faixa-preta, nasceu no Rio de Janeiro, mas agora mora na Suécia e treina fliado à Checkmat. Antes de encontrar o jiu-jitsu, porém, sua vida poderia ter mudado muito. Finfou cresceu nas favelas do Brasil, cercado pelo crime e pela violência, que custou a vida de seus dois irmãos. Felizmente, Finfou escolheu um caminho diferente após um encontro casual com o pioneiro do jiu-jitsu Fernando “Terere” Augusto. Terere convenceu Finfou a experimentar o jiu-jitsu por meio de um projeto social criado para ajudar as crianças a saírem das ruas e, assim, deu início a uma paixão duradoura para o futuro campeão.

Finfou subiu na classificação ao longo dos anos, eventualmente se mudando para a Suécia. Ele conquistou a faixa-preta em 2007 após uma série de grandes conquistas ao longo dos anos de faixa-preta (incluindo títulos mundiais na faixa-roxa e marrom), e tudo parecia estar indo bem para ele até uma contusão devastadora no Mundial 2014 da IBJJF.

Finfou enfrentou Otavio Sousa nas semifinais da competição de elite e, num acidente bizarro, uma raspagem de omoplata de Sousa deixou Finfou com uma lesão na coluna que o fez ficar hospitalizado e quase o paralisou. Mesmo assim, após alguns meses, ele conseguiu se recuperar o suficiente para retomar os treinos e vencer o Mundial Sem Kimono na categoria Master 1 em 2016.

Agora com sua própria equipe e um legado impressionante que não para de crescer, Finfou tem uma história que é movida por determinação, coração e perseverança.

 

Share.

O portal da Rhino BJJ é um site dedicado a fornecer informações relevantes e atualizadas sobre o mundo dessa arte marcial. Ele abrange uma variedade de tópicos relacionados ao Jiu-Jitsu, como técnicas, competições, notícias, histórias de sucesso, dicas de treinamento e muito mais.

Leave A Reply